Aprenda A Diferenciar Tristeza de Depressão

26.06.2017

Já aconteceu de você se sentir tão triste que chegou a se considerar deprimido? Será que você estava mesmo em depressão? Vamos descobrir juntos!

Deprimido ou triste? Esse tipo de “confusão” é algo bem comum e, apesar de algumas semelhanças sintomáticas, as duas apresentam significados bem distintos… Saber diferenciar tristeza de depressão pode ser decisivo para se alcançar a melhora desejada.

Primeiramente, veja por você mesmo a definição do Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora para cada uma:

  • Tristeza é o estado de quem sente insatisfação, mal-estar ou abatimento, por vezes sem razão aparente; melancolia; angustia; inquietação; causa que provoca abatimento, estado depressivo ou nostalgia; pena; mágoa; aflição; consternação; saudade.

  • Depressão, segundo a visão da Psicologia, é um estado mental caracterizado pela persistência de sintomas como apatia, desânimo, melancolia, cansaço e ansiedade; no sentido figurado significa abatimento físico, intelectual ou moral.

Acredito que, você já se sentiu triste em algum momento da sua vida e, independentemente do motivo, este momento apresentou 3 etapas distintas: o início, um período de luto (que você pensa incessantemente nas causas deste sentimento) e um fim (a partir do acontecimento de algo que te trouxe alegria), concorda? Esta é a principal característica da tristeza… Ela vem, estaciona por um tempo e quando algo bom acontece ela vai embora… Sua condição é momentânea!

No caso da depressão, temos um transtorno psicológico que se apresenta como um sintoma de um sentimento que faz parte de inúmeros distúrbios emocionais que, em determinado nível sintomático, pode ser considerada como uma doença. O diagnóstico da depressão envolve a identificação de alguns sintomas (segundo alguns padrões internacionais e respeitando períodos específicos para fechamento do diagnóstico), dentre eles:]

  • A apatia, desinteresse, desmotivação, mau humor e desânimo na maior parte do dia.
  • Diminuição da libido e do prazer ao fazer coisas que gosta, diminuição ou aumento do apetite e do sono, com ganho ou não de peso, baixa de energia, preguiça exacerbada ou fadiga.
  • Dificuldade de pensar e de se concentrar, ou indecisão.
  • Baixa autoestima, pensamentos suicidas, sentimento de culpa ou inutilidade, dificuldade para executar tarefas básicas e cotidianas, grande perda de capacidade para tomar iniciativa, autoacusação, inferioridade e todos os outros adjetivos depreciativos que você conhece e mais alguns ainda não relatados…

Estou deprimido?

Então apesar da expressão “estou deprimido (a)” ser utilizada por todos associando a ideia de “um momento triste ou sem ânimo” à depressão, este transtorno não tem nada de momentâneo nem sutil e, na maioria dos casos, precisa da intervenção de um profissional… Ou seja, se você acordou um dia desmotivado e depois conseguiu recuperar a sua motivação, não significa que está deprimido e sim que seu corpo está sinalizando que algo na sua rotina está consumindo muito da sua energia. Mas, no caso destes sintomas permanecerem, é hora de procurar ajuda de um profissional para avaliar se você está ou não em entrando num estado depressivo.

Resumindo a tristeza até pode ser uma das causas da depressão, mas nem toda depressão oriunda da tristeza! Aqui não é funk, mas vale respeitar a ideia de cada um no seu quadrado!

E aí, gostou? Agora é a hora de você fazer a sua autoanálise e desvendar o que se passa dentro de você…

 

Receba novidades por e-mail CadastroGratuito

Receba em Seu E-mail o Mais Atualizado Conteúdo Sobre Coaching e Desenvolvimento Pessoal do Brasil

Comentários:

  1. Estou adorando seus artigos, Natália! Fiquei com uma dúvida… É muito comum eu acordar sem ânimo e quando isso acontece passo o dia inteiro na cama. Fui diagnosticada com depressão pelo meu médico e tomo fluoxetina, mas eu não sinto tristeza, nem nada do tipo e quando tomo o remédio sinto quase de imediato um misto de euforia com disposição e alguns segundos depois o desânimo volta mais forte, acompanhado de um cansaço bem forte com um pouco de tristeza. Conversei com meu médico, mas ele disse que tenho que esperar algumas semanas para ver se isto permanece. A minha pergunta é: “Existe alguma forma de aumentar meu ânimo, de forma que meu médico possa ver meu avanço e diminua ou até suspenda esse remédio?”. Grata pelo material!

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *