Coaching e a Maternidade

09.04.2017

Ah! A maternidade!

Para muitas de nós este é um grande sonho realizado. Mas diferente dos comerciais de TV, a vida real é cheia de surpresas e desafios. Criar filhos é uma das experiências mais intensas e desafiadoras que vivenciamos. Nada nos tira mais da zona de conforto do que educar uma criança. E em certos momentos, dá medo!

Dá medo de não dar conta do recado. Dá medo de não saber o que fazer. Dá medo de estar fazendo tudo errado e pensar nas consequências que isso terá no futuro dos filhos.

E por uma questão de sobrevivência, você tem que aprender a se “virar nos trinta”. Eu mesma vivi situações que me deixaram a beira de um ataque de nervos. Já explodi, já chorei de desespero e de remorso, já me consumi em culpa. E descobri que não existe um ser que sinta mais culpa do que uma mãe. Nos culpamos por tudo, pelo que fazemos e pelo que deixamos de fazer.

E ninguém nos dá um curso, um mapa, um bendito manual que nos ensine como educar, como criar os filhos. Muitos ainda nos dizem: “Siga o seu instinto”, como se fosse simples assim!

Os primeiros anos de vida dos filhos requerem uma dedicação intensa da mãe. Nenhum outro ser depende tanto de cuidados como o ser humano. O bebê acaba de amadurecer fora da barriga, porque o espaço do útero não o comporta mais. Mas, natureza não prepara as mães para todo o turbilhão de emoções e vivências que enfrentarão durante o crescimento dos filhos.

E mergulhamos de cabeça nesta experiência. E como crescemos! Descobrimos que temos uma força inimaginável, capaz de vencer qualquer cansaço e nos fazer superar a nós mesmas. E neste meio tempo, conhecemos o amor sem limites, o mais puro e verdadeiro, aquele que não quer nada em troca e que cresce mais rápido que a super velocidade com que crescem os filhos.

Até que de repente, em um belo dia, nos olhamos nos espelho… e não nos reconhecemos mais. Já teve esta sensação? Eu já…

Lá pelos 5 anos de dedicação intensa à carreira de mãe. Quando minha filha começou a ter um pouco mais de independência, eu me deparei com a mulher que eu tinha deixado de ser, com os sonhos que eu deixei para traz e a vida que eu deixei para depois após a maternidade. Não foi fácil perceber tudo isso. A sensação de culpa tomou conta de mim e acabei entrando num ciclo de frustração que refletiu, inclusive, na qualidade da minha maternidade.

De repente eu tinha me tornado uma pessoa triste, nervosa, cansada de tudo, o tempo todo. Uma mãe impaciente, cheia de mandos e desmandos, sem a menor conexão com minha filha. Uma mulher chata, amargurada, infeliz. Nem eu aguentava ficar perto de mim. Mas, eu não tinha para onde fugir. Tive que conviver com esta pessoa que eu tinha me tornado, querendo ou não.

E levei um bom tempo para conseguir reagir. Foram anos de conflitos e busca. É muito triste viver uma vida vazia e sem esperança. Deixar a vida nos levar pode até ser interessante em uma canção, mas, viver isto na prática não é algo tão poético.

Li muitos livros, gastei horas e uma boa grana com terapia, fiz tentei inúmeras alternativas, dei muita “cabeçada” por aí. Foram anos de luta interna.

Mas quando consegui me encontrar dentro de mim, quando me conectei à minha essência, eu renasci como Fênix, mais forte e empoderada que jamais imaginei. E os reflexos disto em todas as áreas da minha vida foram maravilhosos.

Conhecer melhor a mim mesma, ter objetivos e metas claras sobre minha vida, saber onde eu quero chegar e superar as barreiras para conseguir, administrar meu tempo de forma produtiva de modo a ter tempo para cuidar de mim e do meu relacionamento e ainda viver a infância da minha filha, ter uma carreira e a construir a vida que escolhi. Parece sonho, mas esta é a minha realidade hoje!

E eu decidi que não guardaria este segredo só para mim. Escolhi proporcionar toda esta conquista, este encontro comigo mesma, esta construção de uma vida com mais sentido, a outras mulheres.

Por que ajudar as mães?

Foi através do Coaching, com o uso de técnicas e ferramentas poderosas, que eu descobri uma maneira para ajudar as mães a se realizarem como mulheres, de forma plena, sem abandonar seus sonhos e sem se sentirem culpadas, com menos tempo e sofrimento do que eu vivi.

E como eu me realizo através de cada depoimento e relato feliz que recebo! Ver mães se reerguendo, com coragem para realizar seus desejos, como voltar à faculdade, abrir seu próprio negócio, resgatar sua autoestima e reconstruir seu relacionamento, se valorizando e se amando plenamente, conectadas à sua essência e vivendo uma vida com mais propósito. Isso é o que me faz vibrar e querer me dedicar ainda mais ao meu trabalho.

Se você é mãe e está cansada de viver uma vida que não planejou, está cansada de viver em um looping de emoções negativas e de não ter perspectiva de uma vida melhor, saiba que existe luz no fim do túnel! Existe vida além da maternidade!

Acredite: Eu posso te ajudar a encontrar!

E eu não parei por aí…

Nesta jornada de auxílio à maternidade, percebi como o fato de não termos uma orientação para educar e criar nossos filhos é angustiante. Percebi como as crianças são capazes de um nível de compreensão que subestimamos. E como precisam de direcionamento, principalmente na atualidade, onde o excesso de estímulo e a exposição à informação excessiva e a falta de proximidade real nos distancia cada vez mais.

Nos processos de Coaching eu comecei a identificar como as nossas crenças, as coisas que acreditamos e tomamos como verdades absolutas e que tanto nos limitam ao longo da vida, são originadas justamente na infância. São ensinadas pelos nossos pais! As crianças estão vulneráveis e absorvem tudo, principalmente quando a informação vem daqueles que são a fonte de proteção e confiança. As consequências dos erros cometidos na fase inicial de desenvolvimento podem ser desastrosas na vida adulta se nós, mães, não temos a consciência do nosso papel real na construção destes seres humanos.

Então parti em busca de suprir esta lacuna para oferecer um apoio as mães no processo de maternidade. Encontrei pelo caminho um suporte importante nas ciências do desenvolvimento humano e novamente no Coaching.

E eu me especializei e me tornei, também, Coach para Crianças. Com este trabalho eu ajudo as mães a criarem os filhos de forma consciente, com uma educação positiva, em que o amor, a compreensão e o respeito alicerçam as relações. E ajudo as crianças a vencerem as dificuldades de comportamento, desenvolvendo a inteligência emocional, autonomia e independência.

Se você gostou da minha história, se serviu para você, acompanhe minhas publicações pois vou compartilhar aqui muitos conteúdos sobre maternidade, mães e filhos.

 

Receba novidades por e-mail CadastroGratuito

Receba em Seu E-mail o Mais Atualizado Conteúdo Sobre Coaching e Desenvolvimento Pessoal do Brasil

Comentários:

  1. Muito bom! tambem sou coach e larguei tudo para priorizar a educação da minha filha que hoje tem 08 anos. Seu sonho era que eu a levasse e biscasse na escola! Parabens!!! Amei o portal e eu também quero colaborar. bjs, Tabata

    1. Oi Tabata! Que maravilha seu relato! às vezes nós deixamos a vida nos levar e partimos em busca de construir coisas grades… E nos esquecemos de ver que o papel mais importante que temos é o de estar presentes para nossos filhos, nossa vida! Parabéns pela ATITUDE e coragem de largar tudo para viver sua missão e por ser PRESENTE na vida da sua filha! Com essas escolhas simples nós temos o poder de mudar o mundo para melhor!
      Gratidão pelo seu comentário!

  2. Muito bacana Flávia! Trabalho com fotografia de Batismo de crianças e fico triste quando vejo a frustração de muitas mães por não conseguirem vencer a montanha russa do primeiro ano da vida em família, com a chegada do bebê. Vejo muitos casais jovens separando e criando filhos em conflito, num relacionamento de disputa e acusações entre os pais. É uma pena. Não sei como vai ficar a estrutura emocional dessas crianças no futuro.

    1. Oi Sandro! Infelizmente essa é uma triste realidade! Mas acredito que somos capazes de transformá-la. Vejo como é importante darmos atenção à infância pois é nela que construímos os seres humanos que seremos para o mundo. É na infância que adquirimos informações e crenças que nortearão toda nossa vida. Que seres humanos queremos para o mundo amanhã? Para consertar tudo isso que está aí, precisamos olhar para nossas famílias, que são o mundo experimentado em uma escala menor, com amor e mais propósito… E de repente, o mundo se torna um lugar melhor para se viver!
      Gratidão pelo seu comentário!

  3. Olá Flávia. Parabéns pela.abordagem! É gratificante contribuir para que mães possam cuidar dá emoção dos filhos tanto quanto dá cognição. Sou Coach como você e tenho compartilhado ferramentas com educadores que são a segunda familia dos nossos filhos. É maravilhoso apreciar a transformação que o Coaching proporciona em a equipe de educadores!
    Gostaria de também poder contribuir.

    1. Gratidão Lúcia! E parabéns por também se dedicar a transformar vidas através do Coaching! E assim vamos tornando o mundo um lugar melhor!!!

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *