Os Principais Passos Para Conquistar Recolocação Depois dos 50

08.05.2017

Há anos trabalho com seleção de pessoas e, consequentemente, muitas que necessitam de recolocação me procuram em busca de ajuda e de dicas. Hoje em dia, me procuram por um trabalho de coaching focado nesse aspecto.

Diante de vários atendimentos, vi pessoas com medo de não se recolocarem, pois o cenário brasileiro não anda tão promissor. Uma pessoa que antes levaria em torno de 6 meses, hoje está levando 1 ano em média para obter uma recolocação profissional, e isso varia muito de posição para posição.

De acordo com os últimos dados do IBGE, infelizmente a população desempregada atingiu 12,9 milhões de pessoas. Ao olhar essas estatísticas, não sei você, mas em mim causa certo temor. E isso independente da idade que se tem! Pelo menos 1 vez por semana eu recebo perguntas de profissionais, de diversas idades com os mesmos receios, então, de uma coisa tenha certeza: todos passam em graus diferentes por esse momento.

Sabendo disso, paciência é a chave que ajudará você a viver esse momento de recolocação. Faça sua agenda e organize seus dias, não deixando a ansiedade te controlar, mas trabalhando em todo tempo na sua recolocação. Mantendo esse foco, e fazendo contatos para aumentar seu networking, isso ajudará você ainda mais a alcançar a meta.

As dicas iniciais acima já ajudam mesmo os que tem mais de 50 anos, mas se está com dificuldades para retornar ao mercado, saiba que a recolocação não é impossível. Eu sei que a responsabilidade com o passar dos anos e também a quantidade de contas aumentam, por isso trago 6 dicas importantes para que acredite que ainda tem seu espaço e reconhecimento no mercado.

Conheça o seu potencial e o profissional que você é

Muitas vezes, com o passar dos anos, com tanta “fazeção”, deixamos de pensar e vamos apenas fazendo, fazendo… executando estratégias, ou desenvolvendo estratégias para negócios e empresas. E como ficou sua carreira? Você sabe quem você é? Conhece todo seu potencial?

Te pergunto então: quer continuar na área que sempre atuou ou está desejando mudar de profissão? Aconselho para isso você usar a ferramenta Business Model You, ótima para refletir sobre si mesmo e suas experiências, seus anseios e ter pleno conhecimento sobre si mesmo.

Fazendo essa reflexão você irá conhecer suas competências, suas fraquezas, quem te apoia e seus recursos, que irão lhe ajudar nas próximas dicas abaixo.

Junto a essa ferramenta, você pode usar a SWOT, para te ajudar nesse processo de análise. Se tornará complementar e te ajudará a encontrar as primeiras respostas junto as essenciais, para você alcançar a recolocação.

Esteja sempre aprendendo

Todo tempo livre que tiver é uma oportunidade para aprender e se atualizar. Muitas pessoas usam o tempo livre após a saída do último emprego para descansar, mas não espere demais.

Para a recolocação no mercado de trabalho, aprender nunca é demais. Cursos, MBAs, pós-graduação, qualquer coisa que agregue mais valor ao seu currículo e mostre aos seus futuros empregadores que, mesmo sendo experiente, você sempre se mantém atualizado e aprendendo.

Use a internet para manter-se por dentro do que acontece em sua área de atuação, como também fazer cursos online pagos ou gratuitos que encontrar.

E o mais importante: toda crise é passageira, a diferença entre elas é apenas o tempo que duram. Se você estiver preparado para quando os profissionais de recrutamento e seleção voltarem a contratar em maior quantidade, certamente vai ser um dos primeiros a voltar ao trabalho quando houver uma retomada no crescimento.

Internet e Redes Sociais – Networking

Você, não importa a sua área, deve fazer o possível para atualizar e manter ativos os seus perfis em redes sociais, como o Facebook, Linkedin e Twitter, pois são uma fonte imensa de networking se bem usadas, mantendo-o em contato com pessoas que podem lhe ajudar com indicações, outros contatos ou dicas de vagas.

Ah, faça isso em todo tempo! Não deixe para realizar contatos apenas no momento que necessita de ajuda na recolocação. Quando mantemos o contato constante, é muito mais fácil de sermos lembrados para posições e, também, mais fácil de compartilhar necessidades, como a ajuda por uma nova posição no mercado.

Atualize seu Currículo

Você sabe qual a imagem quer passar ao mercado? Seu CV é sua foto! Lembre-se disso! Então, caso ainda não tenha feito, revise e formate adequadamente o seu currículo. Mantenha-o atualizado sempre, empregado ou não, e coloque nele as informações essenciais, mas sem informação “demais” e nem “de menos”.

Não existe um número de páginas certas, definidas, mas use seu bom senso. Deixe sempre um pista para o recrutador buscar obtê-la com você. Se você entrega tudo no CV, ele não entrará em contato. Mas cuidado, não restrinja as informações de contatos com você: Linkedin, e-mail, telefone fixo e celular são essenciais.

Sobre o Linkedin (ele é muito importante: lá você pode ter seu CV online, e aconselho que seja de fato um espelho, ou ao menos obtenha grande parte das informações do seu CV, que ajude uma empresa em uma busca a encontrar seu perfil.

Olhe os perfis de pessoas do mesmo ramo que o seu, veja como elas estão se posicionando, as palavras que estão usando. Traga essas ideias também para o seu perfil. E sobre tudo, peça que pessoas com que você trabalhou possam recomendar seus trabalhos – diretores, gerentes, analistas de sua equipe. Tudo isso ajudará muito a criar sua imagem como profissional para uma recolocação.

Um ponto importante: sempre que puder, consulte um expert neste tipo de serviço caso você não tenha o conhecimento suficiente para a apresentação de um bom currículo. Lembre-se, ele é a sua imagem!

Entrevistas

Primeiro, não tenha medo de entrevistas por causa da sua idade. Tenha em mente que se o recrutador lhe chamou para um processo seletivo, é porque o seu currículo chamou a atenção e ele quer saber como você com sua experiência pode ajudar o negócio dele.

Já vi casos de pessoas acima dos 50 que aparecem nas entrevistas como se estivessem sem energia, apagadas, por vergonha ou receosas por estarem concorrendo com pessoas mais novas, acabando por serem dispensadas do processo seletivo. Mas isso não foi por causa da idade, e sim porque eram apáticas.

Use a idade a seu favor: mostre ao recrutador sua experiência quando tiver oportunidade e as vantagens que terá por lhe contratar, que mesmo com toda a sua experiência está sempre disposto a aprender e nunca se acomodou.

Outra coisa: o mercado mudou, o cenário se inverteu, antes as empresas guerreavam por talentos, agora, os talentos guerreiam por oportunidades. Então fiquem atentos e sejam flexíveis pois cargos e salários estão em ajuste. Voltar ao mercado hoje com o que se tinha não será tão fácil, então, dê um primeiro passo e invista dando o melhor de você pra onde você for e, ao longo tempo, tendo uma excelente performance, tenho certeza que a empresa te avaliará e fará um reajuste dentro da expectativa um dia obtida.

Então, não seja seletivo demais. Esteja disposto e participe de processos para empregos temporários inclusive, pois são uma ótima forma de praticar para entrevistas mais importantes e melhorar naquilo que achou que não foi muito bem.

Aparência

Cuide de você antes de tudo para o entrevistador saber que cuidará dos negócios dele também. Ninguém quer um profissional “desleixado”.

Infelizmente existe todo o tipo de pessoa e você não sabe como pensa o recrutador sentado à sua frente. Lembre-se: “não existe uma segunda chance para causar uma primeira boa impressão”. E essa impressão fica!

Quando falo em aparência é barba feita, cabelo cortado, maquiagem leve, roupa coerentes. E jamais, jamais minta a sua idade. Tenha orgulho da sua história, da sua carreira, da sua vida. Foram esses anos que te fizeram chegar até aqui!

Dica Bônus 1: Eu não sou a única que está falando a respeito.

Clique aqui – O Brasil ainda não descobriu o potencial dos acima de 50 anos

Dica Bônus 2: Coaching de Carreira

Às vezes, mesmo com toda nossa experiência e maturidade, somos pegos em momentos da vida de surpresa e uma demissão do nada pode realmente nos abalar. Não é fácil recomeçar sozinho em certas situações e isso é completamente normal. Nesse caso, eu aconselho que procure um acompanhamento profissional, um Coach de Carreira, que irá lhe ajudar a descobrir os seus próximos passos. Saiba mais sobre Coaching de Carreira.

Receba novidades por e-mail CadastroGratuito

Receba em Seu E-mail o Mais Atualizado Conteúdo Sobre Coaching e Desenvolvimento Pessoal do Brasil

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *