Educação Financeira: Saiba Como Administrar Seus Rendimentos

06.07.2017
Crie seu futuro – 728 x 90

Certo dia, eu estava dialogando com um dos meus cunhados e alguns dos assuntos que tratamos foi a educação moral, cível e como se comportar na sociedade.

Ele dizia que a educação deveria de ser responsabilidade da escola, enquanto o meu ponto de vista era de que a escola só era responsável pela educação formal, que compreende as disciplinas curriculares, ou seja, matemática, português, física e etc. Disse que a pessoa já deveria vir de casa com a educação moral, cível e sabendo se comportar em sociedade. E, assim, com o conhecimentos adquiridos na escola, lapidar a educação individual.

Agora, você me pergunta, “Ok, e daí? Onde essa prosa, nos vai levar?”

Obrigado por perguntar. 

Esta prosa nos vai levar ao assunto do artigo, que será Educação Financeira.

Calma, calma, que não vou lhe fazer sabatina como os professores de matemática faziam. Vou lhe fazer ficar presente para as possíveis lacunas em sua educação financeira.

A Educação Financeira

Segundo na apostila Oferta e demanda de informação financeira pessoal: o programa de educação financeira do Banco Central do Brasil: “A educação financeira tem por propósito auxiliar os consumidores na administração dos seus rendimentos, as suas decisões de poupança e investimento, consumir de forma consciente e ajudar a prevenir situações de fraude”.

Como você pôde perceber com o parágrafo acima, você já foi educado financeiramente, mas infelizmente, por medo, por comodismo ou inexperiência, você pode estar deixando de lado alguns dos ensinamentos aprendidos.

Eu aprendi que a educação tem que vir de casa, que os filhos devem receber esta educação dos responsáveis pela família, dos pais ou alguém com mais experiência. Assim, o ensinamento será mais facilmente absorvido, pois as lições serão administradas e avaliadas no cotidiano do aprendiz.

E quando o aprendiz for para o mundo externo, ele já terá onde se basear para adquirir novos conhecimentos e aprimorar os que têm.

Mas, nem tudo são flores, você deve ter em mente que as lições que os responsáveis aprenderam e lhe passaram, foram aprendidas em circunstâncias e realidade, muitas vezes diferentes das que você vive hoje, por isso é necessário lapidar, readequar e repensá-las.

A educação financeira tem por propósito te auxiliar:

– Na administração dos seus rendimentos,

– Consumir de forma consciente;

– A prevenir situações de fraude;

Vamos a cada um:

Administração dos seus rendimentos:

O primeiro tópico da educação financeira é: Você realmente sabe quanto tem de rendimento na sua casa? Quem colabora para ele? De onde vem?

Estas perguntas podem ser estranhas, mas são mais comuns do que você pensa e são o primeiro passo para elaborar o seu orçamento financeiro.

Um dos ensinamentos de que se tinha e ainda está aculturado, pelo menos nas finanças pessoais, é de que o marido era quem deveria prover todo o rendimento da família.

Quando lhe pergunto se você sabe realmente quanto é o rendimento que tem em sua casa, estou querendo lhe questionar se você está considerando apenas o seu rendimento. Ou está considerando os de sua esposa(o), filhos e demais membros que residem com você.

Quando falo de rendimentos, estou falando de toda a fonte de renda que a famílias têm, como aluguel, pensões, ou seja, tudo que traz dinheiro para a casa.

Você sabe o que está sendo cobrado no seu holerite e por quê? Quais são as tarifas que estão sendo cobradas em sua conta no banco e nas empresas que administram os seus rendimentos e por quê?

Se você é daqueles que pegam o extrato, holerite e nem abrem: Cuidado! Você pode estar pagando pelo erro de outros.

Saiba o que é descontado do seu salário:

Pode ser que algum serviço, tarifas bancárias, cartão de crédito ou opção crédito possa ser colocado ou desbloqueado “sem querer” ou “para sua comodidade” em sua conta.

No seu trabalho pode ocorrer algum erro no sistema ou alguém pode esquecer-se de algum parâmetro e haver um desconto a mais de seu salário.

Outro ponto que você tem que ter cuidado é o de saber o que deve ser descontado e cobrado no seu holerite e contas. Além de dever saber o nome e abreviaturas que são dados a cada um deles, para que não seja pego de surpresa por taxas e descontos indevidos.

Dica: conta salário não tem tarifa, se foi tarifado você está recebendo em conta corrente normal.

Se é conta corrente normal, você sabe o que é limite? Você sabe quanto paga de juros se o usar? Sabem quais são as tarifas cobradas?

Calma, que não estou julgando a sua inteligência. Sei que você sabe que limite é uma quantia que o banco lhe empresta, para que cubra o que gastou a mais do que tem na conta corrente e no mês posterior lhe cobra o valor com juros.

Mas, o ponto que quero lhe deixar consciente, se você não está usando o mesmo como um complemento dos seus rendimentos está pagando muito caro por isso. Já tive amigos que pensavam que o limite era um bônus que a empresa depositava em sua conta.

Quanto aos juros, você sabe qual é a porcentagem que lhe é cobrada, quando você usa o limite?

Espero que saiba, porque como lhe falei, você pode estar pagando muito caro, veja o exemplo abaixo.

Vamos imaginar que você tenha R$ 100,00, se for de dívida com o limite, que tenha como percentual de juros 11% ao mês, paga R$ 11,00, se for aplicado na caderneta de poupança que está rendendo 0,65%, receberá R$ 0,65.

Veja que no exemplo acima você estará pagando R$ 10,45, a mais para o banco, por isso que digo que você esta pagando caro.

As suas decisões de poupança e investimento

Você sabe a diferença entre poupança e rendimento?

Poupança é o efeito de poupar. Isto você já sabia. Mas, você está ciente que para que este efeito aconteça depende de você adquirir o hábito de reduzir e evitar gastos e também evitar desperdício?

Ao adquirir este hábito, você terá condições de acumular uma quantia que possa ser usada no futuro.

No entanto guardar a quantia poupada embaixo do colchão, num porquinho ou enterrada no quintal, não é uma boa ideia, e aí entra o investimento. 

Investimento é escolher uma aplicação e investir a quantia poupada para que renda juros ou outra forma de rendimento. Se pensou em caderneta de poupança, pode até ser uma possibilidade, no entanto existem investimentos melhores e com as mesmas comodidades da caderneta de poupança.

Para fazer um bom investimento faça um teste de qual é o seu tipo de investidor e busque informações dos investimentos que são perfeitos para o seu tipo de investidor.

Consumir de forma consciente

Você compra por necessidade ou tem necessidade de comprar?

Isto quer dizer que você deve ter o cuidado ao fazer uma compra. Só compre porque está necessitado e não para aliviar a frustrações, afogar magoas ou para se distrair.

Você tem um veículo para ostentar ou para se locomover?

Se você compra um carro financiado e após pouco tempo de uso e de pagamento, o usa como entrada em outro mais caro e refinancia a dívida. Cuidado, pode ser que você queira apenas ostentar.

Com esta atitude você corre o risco de acabar com um veículo e que ao final das contas com a quantia paga por ele, você poderia ter comprado uma frota.

A prevenir situações de fraude

Lembra-se de quando era criança e o seus pais lhe falavam para não aceitar doce de estranhos ou falar com eles?

Aqui cabe a mesma recomendação, pois golpe como o do bilhete premiado, do imóvel de baixíssimo preço, são golpes em que um estranho, que você nunca viu, não sabe de onde veio e nunca te viu na frente, lhe apresenta uma oportunidade de ouro.

E ainda nesta oportunidade com um investimento pequeno, você obterá um imóvel ou quantia em dinheiro muitas vezes maior.

Só pode ser golpe ou pegadinha.

Evite parar para ouvir, pois a possibilidade de cair é muito grande, assim como a da pessoa prestativa no banco, que insiste em ajudar no uso do caixa eletrônico e clona o seu cartão e rouba a sua senha.

Lembra-se do não aceitar bala, é como abrir e-mail, clicar em vídeo bonitinho e outro brinde que você recebe de pessoas entranhas na web.

Assim como a bala poderia ter alguma droga, estes mimos digitais podem ter algum software malicioso que lhe rouba informações pessoais e de suas contas bancárias.

Conclusão

A educação deve ser um dos bens que você deve mais prezar, pois ela te acompanhará por toda a sua vida, em especial a educação financeira.

E por ser tão importante, que eu acredito que você deva começar a investir nela dentro de sua casa, ou seja, em família, pois assim a rentabilidade pode ser maior e animar todos os membros quando virem seus investimentos gerarem lucros palpáveis.

Pois no dia a dia da sua família você aprenderá como gerenciar os seus rendimentos, tendo um controle dos mesmos sabendo quais são os seus benefícios e encargos através de seus extratos e holerites.

No entanto este controle deve despertar a importância de se ter um consumo consciente, assim evitado compras desnecessárias e com parcelamento a perder de vista.

E com um pouco mais de empenho e hábito de poupar, possa com um bom investimento viver com sustentabilidade financeira, claro buscando se informar para não cair em golpes de pessoas mal intencionadas que roube os seus rendimentos.

Espero que tenha gostado deste artigo, deixe o seu comentário abaixo e até o próximo.

Receba novidades por e-mail CadastroGratuito

Receba em Seu E-mail o Mais Atualizado Conteúdo Sobre Coaching e Desenvolvimento Pessoal do Brasil

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *