O que é Trabalho Informal ou Freelancer?

20.01.2017
Crie seu futuro – 728 x 90

Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostram que o Brasil tem pouco mais de 39 milhões de pessoas empregadas com carteira assinada. No entanto, esse é um resultado baixo se comprado com os anos anteriores, quando o número atingiu pouco mais de 41 milhões.

Com a queda de empregos em regime CLT, o número de trabalhadores informais e freelancers não para de crescer e hoje eles já são grande parte da sociedade economicamente ativa do País.

O trabalho informal e o trabalho freelancer ainda geram muitas dúvidas e para te ajudar a entender melhor os dois, explicaremos como eles funcionam e porque vem crescendo gradativamente entre os brasileiros.

Trabalho informal

Chamamos de trabalho informal toda a ocupação na qual o colaborador não possui nenhum vínculo empregatício com a empresa ou pessoa física para qual presta serviços.

Os profissionais informais não possuem benefícios trabalhistas como licença maternidade, 13º salário, auxílio desemprego ou aposentadoria, exceto quando contribuem como autônomos para a previdência.

O aumento do trabalho informal

No Brasil, o trabalho informal vem crescendo por conta do enfraquecimento da economia, decorrente de crises políticas e crises econômicas em países como desenvolvidos como os Estados Unidos e a China.

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) reunidos pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas mostram que o Brasil já conta com cerca de 10 milhões de profissionais que realizam trabalhos informais.

Além disso, é preciso entender que o trabalho informal pode ocorrer por necessidade ou por conta da própria personalidade do indivíduo. No primeiro caso, são pessoas que buscam ocupações sem registro para conseguir dinheiro e manter suas famílias. Já no segundo caso, a vontade de trabalhar sem vínculo é do próprio profissional, que pretende ter sua própria rotina, carga e horário de trabalho.

Freelancer não é trabalho informal

Os especialistas afirmam que trabalhadores freelancers, apesar de não contarem com vínculo empregatício, não podem ser denominados como informais, já que boa parte dos profissionais que estão nesse modelo de trabalho optaram por não seguir o padrão CLT.

Atualmente esses profissionais são chamados de 3.0 e tem como principal característica o fato de serem especialistas em suas áreas de atuação, mas preferirem emitir nota como pessoa jurídica para não cumprir jornada de trabalho, férias ou a estrutura ainda rígida de muitas empresas.

A independência proporcionada por um trabalho freelancer também vem encantando os jovens mais criativos, que tendem a trabalhar melhor quando não são pressionados em ambientes formais de trabalho.

Receba novidades por e-mail CadastroGratuito

Receba em Seu E-mail o Mais Atualizado Conteúdo Sobre Coaching e Desenvolvimento Pessoal do Brasil

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *