Por que Felicidade é uma Questão de Valores?

15.08.2017

Você já se sentiu infeliz sem entender muito bem o que está causando essa infelicidade? Já se sentiu ingrato, quando mesmo tendo tudo que você tem, você não consegue se sentir feliz?

Talvez você nunca tenha parado para pensar sobre o que você precisa para ser feliz. Talvez os critérios que você precisa para ser feliz sejam conflitantes entre si. Ou talvez ainda você esteja dificultando as coisas. Nesse artigo vou te apresentar esses 3 motivos pelos quais você pode estar infeliz.

Não conhecer seus valores

Nossos valores são aquilo que realmente importa para nós, o essencial, nossos pilares. E portanto, são os critérios que pesam em nossas decisões. Todos nós queremos, no fim das contas, nos sentir bem e evitar sofrimentos. O que representa dor e prazer, no entanto, varia para cada pessoa.

Você já utiliza sua hierarquia de valores para tomar decisões inconscientemente, ainda que você não tenha se dado conta de quais são seus valores. A questão é que muitas vezes nos abstemos de tomar decisões, terceirizamos nossas escolhas para pessoas próximas ou o senso comum, o que pode fazer com que você hoje não esteja satisfazendo todos os seus valores, ou esteja frequentemente experimentando aqueles estados emocionais com que você associa dor.

Quando suas escolhas não são congruentes com seus valores torna-se muito difícil amar essas escolhas e esse pode ser o primeiro motivo pelo qual você está se sentindo infeliz.

Vamos solucionar esse primeiro problema?

Exercício de autoconhecimento

O que é mais importante para você? O que te proporciona prazer? Se você perdesse tudo, o que seria mais difícil abrir mão? E quais são algumas das emoções que você acha mais importante evitar? Quais te causam mais sofrimento, de forma que você procuraria repelir situações que te fariam experimentar essas sensações? Por fim, quando tiver sua hierarquia de valores atraentes e repelentes, avalie se sua vida atual está satisfazendo a esses critérios.

Alguns exemplos de valores: liberdade, reconhecimento, contribuição, honestidade, respeito, conexão, individualidade, segurança, fama, excelência, variedade, sucesso, crescimento pessoal, realização, saúde, criatividade…

Lembrando que nos referimos aqui aos estados emocionais, portanto você pode responder, por exemplo, que o essencial para você é sua família e um trabalho que você goste. Vá mais fundo então e obtenha a resposta de que tipo de emoções esses itens te proporcionam.

Alguns exemplos de estados emocionais que frequentemente evitamos: rejeição, frustração, fracasso, humilhação, vergonha, insegurança, culpa, raiva, apatia, depressão, solidão…

Ter valores conflitantes

Então já sabemos que associamos dor e prazer a determinados estados emocionais. E, consequentemente, iremos atrair ou repelir determinadas situações conforme nossos julgamentos, que são feitos com base nesses critérios.

Aquilo que atraímos e que repelimos podem ser hierarquizados, ou seja, cada pessoa atribui um peso a cada item.

O segundo motivo pelo qual você pode estar infeliz é que alguns desses valores podem ser conflitantes. Talvez você atribua um grande peso à segurança, mas também à liberdade. Talvez você valorize a conexão com outras pessoas, mas também a individualidade. E, frequentemente, pode acontecer que uma situação que supre um desses valores, sufoca algum outro.

Seus valores podem estar sem congruência também com aqueles estados emocionais que você mais evita. O clássico exemplo é aquele que busca o sucesso, mas evita a qualquer custo o fracasso (o que faz com que ele deixe de tentar, e a falta de persistência não o leva ao sucesso que ele busca), ou o que busca a fama, mas evita a rejeição (ignorando que ninguém é obrigado a gostar de ninguém, e quem está mais exposto tende a ser mais julgado).

Uma última análise é que os estados emocionais que você valoriza podem se conflitar com seus objetivos futuros. Talvez eles serviram para te trazer onde você está hoje, mas não combinam com aquilo que você quer daqui pra frente.

Em todos os casos, cabe uma análise criteriosa se você considera que esses valores são adequados. Então…

Faça uma análise

Qual é o ganho que tenho em valorizar cada um desses itens? O que eles podem estar me custando? Que tipo de coisas posso estar perdendo evitando o que estou evitando? Os estados emocionais que atraio e os que evito estão adequados a quem eu quero ser?

Atribuir significados enfraquecedores aos valores

Já dissemos que os valores atraentes e repelentes são estados emocionais que se busca ou que se evita com base nos critérios de prazer e dor. Esses critérios são subjetivos, o que significa dizer que cada pessoa atribui um significado diferente a cada emoção.

Para saber qual é o seu critério para julgar se está experimentando cada estado emocional, basta se questionar o que precisa estar acontecendo para que você sinta cada um desses estados.

Você pode dizer, por exemplo, que experimenta realização toda vez que faz algo novo, extraordinário, fora do comum. Para outra pessoa, realização talvez pode ser experimentado toda vez que se cumpre o que planejou fazer. Você pode experimentar rejeição toda vez que alguém te excluir de algum projeto, ou talvez toda vez que alguém te olhar de forma não amistosa.

Veja que o terceiro motivo pelo qual você pode estar infeliz é você dificultar demais os critérios para você se sentir bem, e facilitar demais os critérios para se sentir mal. Isso acontece toda vez que você coloca na mão dos outros a responsabilidade por você se sentir bem ou mal, ou que você atribui essa responsabilidade ao acaso, toda vez que você tenta controlar algo que não é possível controlar, toda vez que você coloca inúmeras condições rigorosas para atingir os estados emocionais que te fazem bem, mas qualquer coisa já é capaz de te trazer um estado emocional de dor.

Avalie seu emocional

Avalie cada estado emocional que você atribuiu prazer e dor. O que precisa estar acontecendo para que você experimente essa emoção? Depois avalie se você está atribuindo significados enfraquecedores, isto é, facilitando demais se sentir mal, e dificultando demais se sentir bem. Você vai listar agora quais seriam os significados mais fortalecedores que você poderia atribuir, e vai lembra-los todos os dias, até que você realmente consiga absorvê-los em sua vida.

Ser feliz é um direito seu. Não busque a felicidade em coisas externas, você já tem meios de se fortalecer e perceber que já é feliz. E não seja o seu próprio obstáculo contra a sua felicidade!

Receba novidades por e-mail CadastroGratuito

Receba em Seu E-mail o Mais Atualizado Conteúdo Sobre Coaching e Desenvolvimento Pessoal do Brasil

Comentários:

  1. Adorei o texto! Muito bom!

    1. Bárbara Penido

      Fico muito feliz que você tenha gostado, Claudiane. Gratidão pela sua presença e pelo seu comentário!

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *