Principais Teorias da Motivação Atuais

11.10.2017
Crie seu futuro – 728 x 90

A motivação é, com certeza, um dos fatores que mais influenciam no bom rendimento, seja no trabalho ou mesmo na vida pessoal. Tendo em vista a relevância desse tema, a Psicologia, dentre outras áreas do conhecimento, acabou adotando-o como objeto de estudo. Foi daí que surgiram as teorias da motivação! E é exatamente sobre isso que falaremos neste texto.

Conheça as duas principais teorias da motivação

O século XX foi quando surgiram as principais teorias da motivação, que até hoje continuam sendo consideradas atuais e passando por revisões.

Relacionadas à satisfação e às necessidades e aspirações, as duas principais teorias da motivação são as seguintes:

Teoria da Hierarquia das Necessidades de Maslow

Abraham Maslow foi um psicólogo estadunidense cujo trabalho mais conhecido é a Teoria da Hierarquia das Necessidades, também conhecida como Pirâmide de Maslow. Nela, o psicólogo hierarquiza as necessidades humanas e explica que são elas que determinam a motivação do indivíduo.

A primeira camada é a das necessidades fisiológicas, ou seja, o mais básico para a sobrevivência humana. Estamos falando de comida, água, sono. Em seguida, as necessidades de segurança, que incluem também a sensação de estabilidade.

Em terceiro lugar vêm as necessidades sociais. Aqui estão incluídos todos os relacionamentos interpessoais e a sensação de pertencimento. Já a quarta camada acomoda as necessidades de estima: o reconhecimento externo e o autorreconhecimento.

Se todas essas necessidades forem satisfeitas, Maslow teorizou que se chegaria ao topo da pirâmide, às necessidades de autorrealização. Nesse momento, a pessoa se preocuparia apenas em se empenhar para se realizar e crescer fazendo o que ama.

Teoria dos Dois Fatores de Herzberg

Outro psicólogo estadunidense, Frederick Herzberg, foi o autor da Teoria dos Dois Fatores. Essa teoria, publicada no livro “A Motivação para Trabalhar”, divide os fatores responsáveis pela satisfação dos funcionários em um ambiente corporativo em dois: motivadores e higiênicos.

Atividades desafiadoras e estimulantes são alguns dos exemplos de fatores motivadores que, como o próprio nome já diz, são relacionados à motivação. Esses fatores são relacionados ao trabalhador e se referem às tarefas e deveres do cargo. São eles os responsáveis por produzirem satisfação duradoura e aumento de produtividade.

Os fatores higiênicos, por sua vez, se referem à empresa, ao ambiente, à supervisão, aos colegas e ao contexto geral. Esses fatores fazem parte da cultura da empresa, estando fora do controle dos funcionários.

Apesar de diferentes, é possível traçar paralelos entre a Teoria da Hierarquia de Necessidades e a Teoria dos Dois Fatores. Ambas demonstram que a motivação não depende completamente do colaborador, mas também da empresa.

Se uma empresa não cuida do seu maior bem, que são as pessoas que a constroem, a insatisfação cresce e com ela a desmotivação. Porém, como é possível ver nas teorias da motivação, isso pode ser contornado!

Caso queira saber como melhorar a motivação na sua empresa, leia também o nosso artigo sobre como fazer um plano de ação motivacional. E continue navegando pelo Portal Coaching para mais artigos como este!

Receba novidades por e-mail CadastroGratuito

Receba em Seu E-mail o Mais Atualizado Conteúdo Sobre Coaching e Desenvolvimento Pessoal do Brasil

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crie seu fututo – 914×172