Saiba Mais Sobre a Psicologia Cognitiva

14.06.2017

Ao longo de nossas vidas, vivemos situações diversas e aprendemos com elas. Muitos inclusive afirmam que essas experiências nos formam, o que tem fundo científico. Existe uma vertente da Psicologia chamada Psicologia Cognitiva que estuda as formas como as pessoas percebem, aprendem, recordam e pensam sobre as situações que vivem.

Essa área do conhecimento estuda o pensamento, a percepção e a memória com o objetivo de analisar como o indivíduo percebe o mundo e desenvolve os processos cognitivos, como percepção, criatividade, representação, atenção, raciocínio e atribuição de significado.

A Psicologia Cognitiva tem uma postura construtivista e parte do princípio de que os indivíduos não interpretam a realidade de maneira objetiva, mas atribuem um significado próprio às situações. Isso explica por que diferentes pessoas encaram o mesmo evento de diferentes formas. Como o real é processado através de estruturas cognitivas únicas e pessoais – os chamados “esquemas”, desenvolvidos ao longo da vida -, cada pessoa percebe as situações à sua maneira.

Como surgiu a Psicologia Cognitiva

O surgimento da Psicologia Cognitiva está diretamente ligado à insatisfação com a teoria Behaviorista, que propõe como objeto de estudo o comportamento. Com os avanços de outras áreas da ciência, como a computação, por volta dos anos 1950, surgem mais críticas ao Behaviorismo e, em consequência, nasce o Cognitivismo.

A primeira abordagem da Psicologia Cognitiva também acabou sendo bastante criticada por sua rigidez e por conter uma analogia considerada excessiva com o sistema de computadores. Nesse momento, o objeto de estudo do Cognitivismo passa a ser a representação, ou seja, a forma como as pessoas dão sentido às experiências que vivem.

Como a Psicologia Cognitiva pode ser aplicada no trabalho

Existem muitas teorias que fazem analogias para compreender como funcionam as organizações. Em geral, comparam o funcionamento das empresas a máquinas, organismos vivos ou cérebros. Isso porque as companhias são formadas por pessoas diferentes, com vivências diferentes.

A interação social é composta pela recepção, transformação, categorização e elaboração de conhecimentos sobre informações. Tudo isso é guiado pelos esquemas, aqueles “filtros” que criamos ao longo da vida com base no que vivemos.

O mesmo acontece no ambiente corporativo, em que colaboradores precisam trabalhar em conjunto para alcançar bons resultados. Investir em uma gestão de pessoas focada nos princípios da Psicologia Cognitiva torna essa interação mais harmoniosa, além de evitar e solucionar possíveis conflitos.

Outra vantagem da Psicologia Cognitiva dentro do ambiente corporativo é a construção de uma cultura organizacional. Missão, visão e valores da empresa devem ser transmitidos por meio de palestras, treinamentos e momentos de socialização, durante o dia a dia. Esses pilares ditam todas as ações dos colaboradores e quando bem assimilados, tornam-se mais um esquema por meio do qual os envolvidos interpretam o mundo.

O processo de Coaching também pode se beneficiar da Psicologia Cognitiva, levando o coachee a questionar seus esquemas e perceber novas formas de lidar com a realidade. Isso aplicado ao mercado de trabalho pode levar a novos objetivos, novas percepções e até mesmo a um crescimento há muito desejado, mas ainda não alcançado.

Receba novidades por e-mail CadastroGratuito

Receba em Seu E-mail o Mais Atualizado Conteúdo Sobre Coaching e Desenvolvimento Pessoal do Brasil

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *