Entenda a Diferença entre Treinamento e Desenvolvimento Organizacional

Os termos treinamento e desenvolvimento organizacional são muito ouvidos no ambiente corporativo. Mas, quais as diferenças entre eles? Este artigo responderá essa pergunta e explicará como esses pontos ajudam a melhorar os resultados da empresa.

O que é treinamento?

O treinamento, que é normalmente aplicado para gerentes, tem como objetivo preparar uma pessoa para o cargo que irá ocupar. Assim, ela será mais produtiva e saberá quais as necessidades exigidas para as tarefas que irá desenvolver. Os resultados satisfatórios conseguidos por meio de treinamentos são colhidos a curto prazo e, por isso, é o método preferido das empresas.

Essa metodologia ocorre em momentos pontuais, já que visa uma capacitação imediata para uma necessidade. Palestras, workshops, seminários e congressos são alguns exemplos de treinamentos.

O que é desenvolvimento organizacional?

O desenvolvimento organizacional é composto por uma série de treinamentos que tem como função criar habilidades em uma pessoa e fazê-la crescer. Esse método, que é focado em gestores e líderes, aumenta o potencial deles por meio da aprendizagem, desenvolvendo novas capacidades e os tornando aptos para prevenir e solucionar problemas que a companhia poderá ter. Os resultados também melhoram com o desenvolvimento organizacional, mas isso só acontece a médio e longo prazo.

Para ter um desenvolvimento organizacional satisfatório, portanto, é preciso de tempo. Por isso, investir nele significa pensar no futuro. Assim, a empresa estará preparada para possíveis problemas, crises e oportunidade de negócios. Além disso, o desenvolvimento visa melhorar o clima organizacional e aumentar a motivação e satisfação dos funcionários.

Coaching é um método de treinamento ou de desenvolvimento organizacional?

O coaching empresarial cria situações em que os coachees precisam tomar decisões e, por isso, gera experiência de como é ser colocado em teste. Portanto, pode ser considerado um método de desenvolvimento. Além disso, o coaching ajuda a aprimorar duas habilidades pessoais: saber ouvir e ter empatia. E, por conta disso, o retorno que as empresas têm ao investir em coaching é alto, já que há melhoria no relacionamento entre os líderes e os demais funcionários e aumento da satisfação com o trabalho e do comprometimento com a empresa.

Mas, um mentor também é capaz de notar as qualidades e defeitos de seus funcionários e, a partir disso, pensar em como ajudá-los a desenvolver habilidades. Assim, o coaching também pode ser considerado um método de treinamento.

Gostou do post de hoje? Então continue acompanhando o blog. Temos sempre publicações do mundo corporativo com ótimas dicas!