Qual é a Frequência que Você Vibra?

Imagina que você está com fortes dores na “boca” do estômago e vai ao médico. Chegando lá, você é examinado e o médico lhe pede que você faça uma endoscopia. Você faz o exame e leva o resultado até o médico que lhe dá o veredito final: “Você está com câncer”. Nesse momento, o mundo caiu!

E o pior é que na maioria das vezes a notícia vem acompanhada de informações ainda piores: “Você terá que fazer “x” sessões de quimioterapia, “y” de radioterapia e não pode comer “x,y,z” e por aí vai.

O câncer é um tumor, logo é matéria, como qualquer doença. Em 1905, Einstein comprovou que toda matéria é uma forma de energia, ou seja, TUDO É ENERGIA. E se tudo é energia, então deve haver uma frequência de saúde e uma frequência de doença, certo? E há!

Todos sabemos que somos o que  pensamos, já dizia René Descartes, “penso, logo existo”. Assim “atraímos” para nossa vida, na verdade CRIAMOS a nossa realidade, mais do mesmo o tempo todo. Sendo assim, se pensamos em saúde, materializamos saúde.

Ou como se diz na ciência, colapsamos a função de onda relativa à saúde e encontramos a cura, mas se pensamos na doença, encontramos mais doença.

Certamente você já ouviu falar da necessidade de entrarmos em sintonia com as coisas boas por meio de pensamentos positivos e boas vibrações, certo? Mas, você sabia que a ciência já explicou esse poder que o pensamento exerce sobre a nossa vida?

A Física Quântica descobriu que tudo o que existe carrega consigo “um quantum” de energia, que é como se fosse um presentinho embrulhado. Esse presentinho é transmitido através de frequências de onda. Sabe-se, então, que quanto maior a frequência de vibração da onda, maior a energia de cada quantum (esse “pacotinho” de energia) que ele carrega.

Nessa perspectiva, é fácil concluir que quando o pensamento é de alta frequência esse “presentinho” de energia é muito maior do que quando o pensamento é de baixa frequência.

Nós criamos a realidade o tempo todo e, por isso, eu sempre digo que somos co-criadores junto com o Criador da realidade. Então, se eu me vejo saudável, eu afeto a minha célula com a saúde que co-criei, porque a célula é feita de energia; tudo é energia. Assim como quando eu penso na doença, no problema, no que não quero, estou criando mais disso para mim mesmo o tempo todo.

A verdade é que vivemos num mundo de dualidades, onde só sabemos o que é o bem porque existe o mal, logo, só existem dois caminhos: o caminho do medo e o caminho do amor.

O caminho do medo traz sentimentos como raiva, frustração, desesperança, falta, tristeza, mágoa, exigência, vergonha, todos em baixíssima vibração, variando entre 20 e 175 hertz, segundo a escala da consciência de David Hawkins.

Já o caminho do amor trás sentimentos como a paz, alegria, amor, entusiasmo, gratidão, abundância, esperança, conforto, confiança, afeição, variando entre 500 e 1000 hertz.

Escala da Consciência

A cura para qualquer doença está na ALEGRIA, em 540 hertz, pois essa frequência é altíssima; é o fluxo do Universo, abundante, pleno e feliz. Somente vibrando na alegria e na aceitação de que a realidade criada será plena e feliz.

E a PNL nos mostra que quando vibramos por muito tempo em determinada frequência ou quando repetimos muitas vezes o mesmo comportamento. O comportamento se torna um padrão porque fortalecemos o caminho neural do cérebro naquele ponto. A saída é criar um novo caminho neural.

Por isso, encontre mais motivos para se alegrar e ser feliz e você se curará de qualquer doença, mal olhado, olho “gordo” ou qualquer outra coisa.

A doença, as dificuldades e os conflitos são sempre uma oportunidade de autoconhecimento e um convite à mudança, que inevitavelmente passará sempre pela elevação da sua frequência.