Ser Otimista: Esqueça o Pensamento Negativo

Ser positivo e otimista é muito mais que falar que é. Você deve conhecer muita gente em seu círculo de amizades que se diz positiva, mas que na prática não é nada disso. Eu também conheço. A maioria é assim. Quer comprovar? Quando encontrar um de seus amigos, pergunte a ele como está e ouça um rosário de lamentações. Todos sabemos que isso não é perfil de otimista. Ele está sempre de bem com a vida, mesmo quando, na realidade, a vida dele não está como ele gostaria que estivesse.

A pessoa otimista se realiza praticamente em todos os aspectos da vida. Conquista sucesso, felicidade, tem boa aceitação social e muitos amigos. É uma pessoa carismática, magnética e atrai para si coisas boas e é menos susceptível à depressão e às doenças, segundo especialistas.

De acordo com os psicólogos, o otimismo e o pessimismo são comportamentos aprendidos na infância, através de modelos fornecidos por nossos pais. Enquanto o pessimista acredita que as desgraças derivam de condições permanentes e que os bons momentos provêm de condições temporárias, o otimista atribui o fracasso a causas conjunturais e as situações favoráveis a um quadro permanente.

Se o pessimista diz que não foi bem na prova de matemática por não ter jeito com os números, o otimista diz que foi mal porque não prestou atenção às aulas, não estudou. Se a mulher pessimista diz que o marido lhe mandou flores porque está querendo fazer média ou se desculpar, a otimista diz: “ele me manda flores porque me ama”.

Uma decepção em algum aspecto da vida do pessimista influi o resto. Imaginemos que ele seja demitido do emprego. É o fim do mundo. Considera impossível conseguir outro, se desespera ante a expectativa do futuro, a falta de dinheiro, ao fim do casamento, a miséria total. Já o otimista não permite que uma infelicidade o contamine e ameace sua vida, seu destino. Se perder o emprego, ele tem certeza que encontrará outro logo, pois tem noção de sua capacidade profissional e pode, inclusive, encontrar outras alternativas para garantir o sustento da família. Ele jamais se desespera.

O pessimista tem mania de se recriminar quando algo dá errado. Se acontece de outro motorista dar uma trombada em seu carro estacionado em certo lugar, ele vai ao desespero, culpa o outro por imprudência e a si mesmo por haver estacionado o carro naquela vaga, se considerando um azarado. Se o mesmo acontece com o otimista, ele dirá simplesmente: “Da próxima vez, escolho um lugar onde tenha menos carros”.

O pessimista, quando se depara com alguma dificuldade, simplesmente desiste. O otimista considera as dificuldades como desafios a serem enfrentados e vencidos. Como você pode ver, ser otimista é ter um ponto de vista positivo. É encarar uma situação que se apresenta negativa como se fosse positiva. É não se desesperar diante de algum acontecimento que lhe pareça desastroso. É procurar ver as coisas, as pessoas e os acontecimentos sempre do ponto de vista favorável.

A princípio, pode parecer difícil, complicado e até inaplicável esse método, mas é infalível. Costumo dizer, quando alguém questiona esse método, considerando-o coisa de doido, algo por demais fantasioso, que é preciso ser ingênuo o bastante para pô-lo em prática. É isso mesmo. É preciso ser ingênuo, inocente, para por em prática esse método. Quem ousar, vai lograr êxito em sua vida.

A diferença entre o pessimista e o otimista está nesse ponto: ver o mundo com os olhos da alma; ver beleza e perfeição nas pessoas; encarar como positivas e favoráveis todas as situações. O otimista pensa no fracasso como o resultado de uma estratégia falha e não como falta de sorte ou falta de competência. Em vez de se sentir impotente, ele toma as rédeas da situação.

Como ser mais otimista?

As pessoas que se imaginam tendo sucesso têm melhores atuações do que aquelas que esperam fracassar. Aí entra em funcionamento a afirmação do grande físico Einstein: “A  imaginação é mais importante do que o conhecimento”. Imaginar é antecipar o acontecimento. É criar na mente a imagem do que se deseja. É ver o que se deseja acontecendo na tela mental. E isso é uma das virtudes do otimista.

Imaginar é como ensaiar para vencer. Você vivencia o sucesso antes que ele aconteça para saboreá-lo quando acontecer. É válido o imperativo: use a imaginação! O otimista valoriza seu próprio mérito. Ele reconhece seus sucessos anteriores. Analisa o que aconteceu de bom como resultado de seus esforços. Se o trabalho sai bom, ele fica satisfeito e orgulhoso pela sua capacidade. Ele comemora as conquistas. Tem orgulho de suas realizações e de seus sucessos.

O otimista sabe que a esperança no sucesso requer tanto força de vontade quanto senso de direção, meios para conseguir seus objetivos. A psicologia ensina que devemos estabelecer metas com sabedoria e ter certeza de que essas metas são realmente importantes. Se seu pai sempre desejou que você fosse um médico ou um advogado, mas você adora livros, é provável que você seja mais feliz trabalhando em algo que envolva livros (biblioteca, livraria) ou mesmo sendo um escritor. É importante que sejamos sensatos em relação aos nossos sonhos.

Ao estabelecer suas metas, determine etapas coerentes para cumpri-las, para não se  sentir esmagado pelas responsabilidades assumidas e a escassez de tempo para levar a cabo as tarefas. O otimista valoriza cada parcela da conquista. A cada degrau vencido ele festeja seu progresso e se sente cheio de energia e motivado para prosseguir. Percebeu o que é ser otimista, ser positivo? É isso tudo e muito mais. Para o otimista não há limites.

Mas, para alcançar seus objetivos na vida, para realizar seus sonhos, satisfazer suas vontades e desejos, você precisa ir mais longe em suas atitudes, além de ser positivo e otimista. Mas tem que praticar.