Você Sabe Como Usar sua Raiva?

21.12.2017

Como é a sua relação com você mesmo? É normal para você, sentir raiva várias vezes ao dia? Quem ou o que desperta esta raiva em você? Já sentiu raiva de si mesmo? Fica comigo até o final e aprenda a usar a sua raiva de forma positiva!

Sabia que sentir raiva por volta de 90 (noventa) segundos várias vezes ao dia é um mecanismo natural de defesa do seu corpo? A questão aqui não está em quantas vezes você sente raiva e sim em como você age, pensa e se comunica quando está sob seus efeitos.

A maioria das pessoas considera sentir raiva algo nocivo e, certamente, esta energia é tão intensa que muitos perdem o controle de suas ações e logo depois da raiva sobra um rastro de vergonha, mal-estar, rompimentos de relacionamentos (parentes, amigos, profissionais ou conjugais), prejuízo com objetos danificados, arrependimentos, remorsos, resumidamente muita dor física, moral, emocional ou no bolso…

Há pessoas que se dizem experts em “controlar seus episódios de raiva”, mas dependendo de como essa contenção ocorre, quanto mais essa emoção é aprisionada dentro de você, mais poder você dá a ela e quando não houver mais espaço internamente, será impossível contê-la e o desastre pode ser bem maior. Um exemplo dessa situação é quando algo muito “insignificante” acontece e desestrutura completamente aquele seu amigo controlado e a reação dele é tão tempestuosa que todos ao redor se assustam. Certamente você conhece alguém assim, não?

Quer aprender a usar sua raiva de forma positiva?

Por ser um mecanismo natural o ideal para nosso sistema físico-emocional é não contê-la e sim deixá-la fluir, se libertando de qualquer pensamento que esteja alinhado a controle e deixa-la ir embora naturalmente…

Normalmente, a raiva é acionada por perda de controle de situações, pessoas ou da sua própria vida. Esse sentimento de impotência, quando não alimentado pelas suas crenças, naturalmente passa e se vai, mas quando esbarra numa crença que o alimente a raiva se torna incontrolável e permanece instalada em você por muito mais tempo.

A palavra de ordem para usar a sua raiva de forma positiva é Aceitação! Observe que aqui não estou falando da aceitação no sentido de “engolir sapos”! Falo aqui da aceitação num sentido bem mais amplo. A aceitação quanto:  a si, tal como é;  a não interiorização de padrões de julgamentos de outras pessoas; a compreensão do que é seu e do que é do outro; a real importância que você dá para as coisas, pessoas e situações e a sua responsabilidade pelo que você escolhe sentir. Interessante, não acha?

Alguns questionamentos interessantes para esses momentos:

O que você está querendo controlar?

Vale a pena você se desgastar por esse motivo? Quanto de importância isto tem na sua vida?

Qual o impacto que as suas ações movidas pela raiva terão na sua vida?

Se a essa é uma emoção sua, quem tem o poder de escolher até que ponto ela pode ficar ou ir embora da sua vida?

E por último, concentre-se na sua energia da raiva e pense: O que eu poderia fazer neste exato momento para usar todo esse potencial em prol de ter um resultado extraordinário no seu dia? (é muito recomendado realizar atividades que exijam alto desempenho produtivo)

E para terminar este artigo com uma reflexão, farei uso das palavras do sábio Buda: “Guardar raiva é como segurar um carvão em brasa com a intenção de atirá-lo em alguém; é VOCÊ que se queima”. Pense nisso…

E aí, gostou? Agora é a hora de você fazer a sua autoanálise e desvendar o que se passa dentro de você…

 

Receba novidades por e-mail CadastroGratuito

Receba em Seu E-mail o Mais Atualizado Conteúdo Sobre Coaching e Desenvolvimento Pessoal do Brasil

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crie seu fututo – 914×172