Zona de Conforto: o Lugar Mais Perigoso para Você Estar

23.12.2017

O Sol a pino naquele início de tarde de verão, no deserto do Arizona, tornava a viagem de carro até San Diego, uma verdadeira odisseia. Ele já estava dirigindo há horas, sem um único vestígio de civilização no horizonte, além da estrada asfaltada. O marcador de combustível já ameaçava uma necessidade de reabastecimento, quando a informação mais ansiada dos últimos minutos surgiu numa placa castigada pelo  tempo: “Posto de Gasolina a 8 Km”. O que lhe trouxe alívio, em meio àquele cenário inóspito, como nos tempos do Velho Oeste.

Minutos depois, avistou o posto de combustível e conduziu o carro até a bomba de gasolina. Enquanto abastecia, foi surpreendido por um uivo agonizante que vinha da mesma direção da pequena loja de conveniência onde ficava o caixa do posto. Ele elevou a cabeça sobre o teto do carro e pôde ver um velho cão deitado sobre o assoalho de madeira, na estreita varanda que dava acesso à porta de entrada da loja.

Depois de completar o tanque, ele seguia em direção à loja e antes de alcançar a porta, ouviu novamente aquele uivo lastimoso e ficou encucado com aquela situação. Entrou, pegou algumas provisões para viagem, nas prateleiras e quando estava sendo atendido pelo caixa, ouviu mais um uivo do velho cão. Fez o pagamento das despesas e antes de tomar a direção da porta, não se conteve e perguntou ao caixa que lhe atendia o motivo da agonia do cão. E o caixa lhe informou que o animal estava deitado sobre um prego. Surpreso com a resposta, ele indagou de imediato:

– Ué!? Então por que ele não se levanta dali e vai deitar em outro lugar?

E o caixa, com a maior lucidez que lhe era possível, respondeu:

– Vai ver, não está doendo tanto assim!

Saia do prego!

Sabe qual a diferença entre aquele prego saliente no assoalho de madeira, desta história fictícia e a sua zona de conforto da vida real? A diferença é que na sua zona de conforto, você não sente a estocada da ponta do prego. E acredite: apesar de imperceptível, num primeiro momento, o estrago na sua vida está sendo feito.

Nossa! Como assim? Quando se mantém com a mente e o coração fechados, cauteloso, inseguro e com medo de parecer vulnerável, você pode se tornar uma pessoa desinteressada, inerte e indiferente. Acaba se fechando no seu mundo interno, debatendo-se silenciosamente por conta do estresse do dia a dia e esquecendo-se que existe um mundo inteiro de possibilidades lá fora.

Este mecanismo de proteção que o mantém cômodo no aconchego previsível do seu “bunker”, pode lhe poupar do embaraço e dos desafios imponderáveis da vida, mas também lhe priva do aprendizado, das descobertas, das realizações e da satisfação de sentir que sua vida está fluindo com direção e propósito.

Algumas experiências dolorosas no passado, podem ter lhe induzido a criar e reforçar padrões comportamentais mais cautelosos, defensivos e previsíveis. Algo que pode ter marcado a sua história porque o levou a romper com o instinto curioso, criativo, desbravador e fascinado, natural de qualquer criança.

A lei universal “tudo que não está crescendo, está diminuindo; tudo aquilo que não está expandindo, está encolhendo; tudo aquilo que não se renova, está morrendo”, lança, sem exceção, uma luz sobre o perigo da zona de conforto. Se você acredita que está a salvo no seu refúgio confortável, onde tem a ilusão de estar no controle de tudo, é melhor dar uma olhada no que está acontecendo lá fora, para sua própria segurança e bem-estar. Tomando apenas o nosso planeta como exemplo: a Terra está movimentando-se ininterruptamente, girando em torno de seu próprio eixo e orbitando em torno do Sol. Com isso temos dias e noites e as quatro estações do ano.

Você não terá 25 anos de idade durante todo o tempo que lhe resta para viver. É ótimo curtir uma folga, esquecer um pouco do mundo e ter alguma diversão. Com responsabilidade, isso tudo é maravilhoso e lhe ajuda a manter-se saudável. Mas a vida é dinâmica, ela não para enquanto você está de férias na praia. Sem mencionar que o seu corpo biológico está envelhecendo a cada respiração, a cada batida do seu coração. Aquilo que hoje lhe representa segurança e aconchego, amanhã poderá ser insuficiente para atender suas necessidades que virão com o avanço da idade.

Mantenha-se aberto e curioso! Recupere aquele instinto natural da infância e se dê a chance de conhecer novos lugares, culturas, pessoas, experiências, alimentos… Esteja aberto às oportunidades que a vida lhe apresentar. Quem sabe isso represente novas amizades para a vida toda ou uma ideia para a construção de um negócio ou memórias interessantes para compartilhar com seus filhos e netos ou, no mínimo, algum aprendizado para a vida.

A pessoa que você é hoje e os resultados que está desfrutando no presente, são fruto do seu esforço e das experiências do seu passado. Agora que está ciente de que a zona de conforto representa a estagnação, o colapso e a ruína, deixo-lhe uma pergunta: quem é a pessoa que você quer ser daqui 5 anos?

Coragem e boas escolhas!

Receba novidades por e-mail CadastroGratuito

Receba em Seu E-mail o Mais Atualizado Conteúdo Sobre Coaching e Desenvolvimento Pessoal do Brasil

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *